Hi Comfort Zone! Oye …. Zona de Comforto….

ENGLISH BELOW

E a tal zona de conforto?

Ultimamente onde vou tem uma frase sobre ela. É um tal de na zona de conforto nada cresce, na zona de conforto nada muda e por aí vamos…

Acho importante pontuar que para mim a tal da zona de conforto é muito pessoal e fruto da sua vivência e relação com o mundo e as pessoas. Vamos aos exemplos para ficar mais claro:

:: Uma pessoa que tem carro e só utiliza ele para se locomover , o carro é a sua zona de conforto. Então o dia em que essa pessoa for a pé ou de ônibus para algum lugar, ela sai de sua zona de conforto. Às vezes coisas simples como fazer sua própria comida ou viajar sozinha podem ser um grande salto fora de sua zona de conforto.

A melhor versão que tenho para ela é tudo aquilo que te deixa no automático, onde seus sentidos ficam anestesiados e sua interação com o momento é basicamente de preenchimento, ou seja você está lá mas atua minimamente virando mais um espectador do que ator principal de sua ação.

Ao mesmo tempo que tudo fica meio em OFF na zona de conforto, também se cria um espaço para o descanso . Ou seja, você pode relaxar que nada de novo vai acontecer. E talvez essa seja a única vantagem e benefício dela e daí a importância de se estar nesse mode em alguns momentos, mas certamente não em todos.

Enquanto a aprendizagem e a plena presença residem fora da zona de conforto, me parece que o mundo em geral vive querendo nos empurrar para ela.

Primeiro porque dá segurança, seja ela no plano físico, financeiro ou emocional. Aquele emprego que não te agrada, mas traz o pagamento todo mês. O relacionamento que não funciona, mas poxa melhor ter alguém do lado do que ficar sozinho.

Segundo porque sair do quentinho dessa zona dá medo. Daqueles bem grandes…. Se dentro do conforto tudo se repete infinitamente muito parecido, fora da zona o inesperado é sempre um visitante chegado que pode te trazer inúmeras sensações, inclusive o medo.

Terceiro… A zona de conforto é rentável e quanto…. Pensa comigo – que tipo de serviços você utiliza ou já utilizou que o fizeram ficar confortável – eu aqui consigo pensar em alguns e se você tiver outros posta nos comentários: delivery de comida, empregadas domésticas, todo tipo de serviço de entrega, internet e por aí vai.

Por favor não me entenda mal! Não sou contra o uso de quaisquer desses serviços, mas o uso excessivo deles deixa sua existência completamente no automático e aí você se desconecta de sua própria vida e por último de si próprio. Quando você automatiza tudo, ou seja deixa de cuidar de suas coisas, do que faz, como faz , você deixa de existir! E obviamente quanto mais confortável o serviço te deixa, mais caro ele é cobrado e por isso digo que a rentabilidade dele é incrível!

Então por isso proponho… Proponho que todo dia você pise fora do seu quadrado, sabe tipo pontinha de pé mesmo. Se você vai sempre de ônibus experimenta ir de bike , de carona ou a pé um dia. Se você usa o Facebook para falar com os amigos, hoje liga e fala com todo eles por telefone ou quem sabe até ouse e faça uma surpresa! Apareça sem aviso…

Experimente fazer sua pizza ao invés de pedir… Viaje até aquele parente que você só fala por Skype! Inscreva-se no tão desejado curso que sempre quis mas também sempre teve uma lista gigante de desculpas para não fazer. Corra atrás sem avaliar tanto as dificuldades…. Para os que tem uma dose de coragem extra em larga demanda, mude de casa, de emprego, transforme seu relacionamento.

Em alguma parte dos Vedas ( escrituras antigas da Índia) me lembro de ter lido : more na sua casa como se não fosse sua.

O confortável nos é necessário mas não em tamanha demanda… Ouse !

Om

Cris 🙏🏻😊🦋

———————————————–

And what about the comfort zone?

Lately wherever ago there is phrase about it. In the comfort zone nothing grows, in the comfort zone nothing changes and so on …

I think it is important to point out that for me the comfort zone is very personal and related to your experience and relationship with the world and people. Let’s look at the examples to be clearer:

:: A person who has car and only uses it to get around, the car is his comfort zone. So one day that person decides to walks or take a bus to some place, doing that she leaves her comfort zone. Sometimes simple things like making your own food or traveling alone can be a big leap out of your comfort zone.

The best version I have to describe the comfort zone is that everything that leaves you in the automatic, where your senses are anesthetized and your interaction with the moment is basically filling, you are there but not present in mind and body.

While everything is off in the comfort zone, it also creates a space for rest. You can relax because nothing new will happen. And maybe that is the only advantage and benefit of it and hence the importance of being in this mode at times, but certainly not every time.

While learning and full presence reside outside the comfort zone, it seems to me that the world in general lives wanting to push us into it.

First, it gives security, be it physical, financial or emotional. That job that does not please you, but it brings the payment every month. That relationship that does not work, but it’s better to have someone on your side than to be alone.

Second, because getting out of the warmth of this area is scary. If within comfort everything repeats infinitely very similar, outside the zone the unexpected is always a surprise, good or bad 😁.

Third … The comfort zone is super profitable and how much …. Think with me –

what kind of services you use or have already used that have made you comfortable – I can think of some here and if you have others put in the comments: delivery food, maids, all kinds of delivery service, internet and so on.

Please do not misunderstand me! I am not against using any of these services, but the overuse of them leaves your existence completely in the automatic and there you disconnect from your own life and ultimately from yourself. When you automate everything, and stop taking care of your things, of what you do, how you do, you cease to exist! And obviously the more comfortable the service leaves you, the more expensive it is charged – there you see how much money is spent.

So that’s why I propose … I propose that every day you step outside your square, even if it is just a bit. If you go by bus always try going by bike or by foot one day. If you use Facebook to talk to friends, today you can call and talk to them all over the phone or maybe even dare and make a surprise! Show up without telling….

Try making your own pizza instead of ordering … Travel to that relative that you only talk on Skype! Sign up for the long-desired course you always wanted but also always had a giant list of excuses not to do. Run back without assessing the difficulties …. For those who have a dose of extra courage in great demand, move from home, change your job, transform your relationship.

In some part of the Vedas (ancient scriptures of India) I remember reading: live in your house as if it were not yours.

The comfort is necessary but not in such demand … Dare!

Om

Cris

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s